Categoria Artigos

Paralisia do sono – entenda como acontece e perca o medo

maior

Já passou pela experiência de acordar no meio da noite e perceber que não consegue mexer um músculo sequer? Se você está lendo este texto, provavelmente já passou por isso ou conhece alguém que passa. Mas calma, você não está sozinho! O nome disso é paralisia do sono, um fenômeno muito comum e explicado pela ciência.

Não é raro a pessoa acordar no meio da noite, sentir o ar faltar, observar o quarto escuro sem conseguir enxergar um palmo à frente do nariz, mas sentir uma presença, algo estranho bem próximo à cama. Ou, em muitos casos, e como acontecia comigo, sobre seu peito, sufocando, enforcando você. Não é pouco comum a pessoa ter a sensação de que está morrendo, o que aumenta muito a tensão do momento.

Saber como isso acontece ajuda a desmistificar o assunt...

Leia mais

A catarse da escrita

cerebro


O grande filósofo grego Aristóteles dizia que catarse significa “limpeza da alma”. E, claro, não é à toa que este é o método usado pela psicanálise para eliminar as perturbações. O método não se define de maneira tão simplória, obviamente, mas para o objetivo desse artigo, saber o que significa catarse já nos leva para o próximo parágrafo com as ideias mais organizadas.

Sim, escrever é uma catarse. E das grandes. Das muito grandes.

Desde muito jovem, sempre tive dificuldade para falar sobre meus sentimentos e sobre as coisas que me amofinam. Na adolescência, que já é naturalmente uma fase conturbada, de inúmeras descobertas e desmedidos conflitos, falar sobre o que eu sentia estava simplesmente fora de questão.

Eu não gostava, não sabia, não queria...

Leia mais

Oito coisas que aprendi escrevendo “As Flechas de Tarian”

mulher-escrevendo


Quando lançei meu primeiro livro, fiz um artigo para o blog Pequenos Deuses onde listo cinco coisas que aprendi escrevendo “A Última Chave – Realidade em um Mundo Paralelo”. Agora com meu segundo livro lançado, resolvi ir um pouquinho além e listar oito coisas que aprendi com essa nova experiência:

1) A diversão no processo é essencial
Meu primeiro livro ficou com 174 páginas. Já “As Flechas de Tarian” teve o dobro e mais um pouco. São 384 páginas de um material bem mais denso, com uma história mais complexa e mais personagens. Isso significa que a diversão durante a escrita foi essencial para que eu terminasse esse livro. Por isso, escrever sobre o que se gosta é a única maneira de manter viva a alegria de escrever...

Leia mais